segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Livro Política Educacional:OS ARAUTOS DA REFORMA E A CONSOLIDAÇÃO DO CONSENSO :ANOS 1990.Shiroma ,Moraes, e Evangelista/3ªed RJ editora DP&A

No dia 26/09 iniciamos a apresentação do livro POLÍTICA EDUCACIONAL,na disciplina de Políticas Educacionais I
Capítulo II
Os arautos da reforma e a consolidação do consenso: anos de 1990
Os anos de 1990 foram marcados por grandes mudanças na área política, social, educativa e ideológica, passando por governos mal sucedidos e impedidos, governos de esperanças e portadores de inovações, pontuados por fatos marcantes, sendo, na área da educação, o mais significativo de todos: o anúncio, através dos arautos, da Reforma da Educação.

Aconteceu em 1990 em Jomtien (Tailândia), financiada pela UNESCO,  UNICEF, PNUD E BM. Onde todos os países que participaram se comprometem a assegurar, através de políticas educacionais sérias, uma educação básica de qualidade à crianças, jovens e adultos, principalmente nos países do E-9( que tem os mais altos índices de analfabetismo do mundo).
Cidadania, competitividade e equidade: Lemas da CEPAL nos anos de 1990
1992: CEPAL junto com  UNESCO publicaram outro documento (Educación y Conocimiento:Eje de la tranformatión productiva con Equidad),para que pudesse favorecer as vinculações sistêmicas entre educação,conhecimento e desenvolvimento nos países da América Latina e Caribe.
A UNESCO delineia a educação para o século XXI
O ensino superior é visto como o motor do desenvolvimento econômico e assim devem ser instituídas novas modalidades de ensino superior, onde os professores devem ser treinados para reforçar o conjunto de idéias  e ao mesmo tempo exercerem outra atividade, além de ser professor.
Cabe, a educação responsabilizar-se pelo desenvolvimento humano sustentável. Esse cuidado com os valores e preocupações fundamentais já existe no seio da comunidade internacional e das nações unidas.
V Reunião do Comitê Regional Intergovernamental do Projeto Principal de Educação para a América Latina e Caribe
O PROMEDLAC V foi fundado através de uma conferência na qual ministros da educação se reuniram para discutir a educação da América Latina e  Caribe. A educação elegeu três  objetivos principais
a) Superação e prevenção do analfabetismo;
b) Universalização da educação básica;
c) Melhoria da educação expressa em dois eixos de ação.
Um banco define as prioridades e estratégias para a educação
*O Banco define as prioridades e estratégias para a educação.
*Objetivo: é eliminar o analfabetismo até o final do século.
*Foco: na educação básica
*Prioridades: formar trabalhadores adaptáveis, capazes de adquirir novos conhecimentos  sem dificuldades, atendendo a demanda da economia.
*Papel decisivo: no crescimento econômico e na redução da pobreza.
*4 desafios: qualidade do ensino secundário, eficiência do gasto público, qualidade dos professores e educação infantil.
A interlocução nacional
Em 1995, um encontro com representantes de vários Ministérios e membros da sociedade civil, a partir do documento base. Questões Críticas da educação brasileira a idéia era adequar os objetivos da educação com as novas exigências do mercado internacional e interno.
Arautos da reforma entre os educadores
São muitos os temas englobados na reforma educacional que se pretendia em 1990. A preocupação com a formação dos professores foi algo bastante debatido na época.
Na esteira da difusão do consenso sobre a necessidade da reforma da educação o MEC inicia uma série de medidas, como a publicação de textos básicos destinados aos educadores contemplando o tema, assim como seminários debatendo a formação dos educadores.
Podemos concluir este capítulo colocando que a educação continua sendo assunto de Estado no Brasil. Esta constatação convida a tomar distancia dos planos e propostas e conduz a analise das medidas que foram implementadas, consolidando a reforma.
 Integrantes:
Ana Lúcia, Bianca, Caroline, Fernanda Cardoso, Giuliana, Jociellen, Lilian, Luciane, Sandra, Viviane e Yulli.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário